Tio da Sukita, a vingança

Para você que não aguenta mais ouvir cantada de tio pedreiro na rua, a vingança. Obrigada ao publicitário (ou publicitária, provavelmente) que teve a ideia do comercial com o tio da Sukita, clássico dos anos 90.

(Via a memória do Pedroso, que exigiu os créditos, mas não tem twitter)

Daniella Cornachione

O que arde, cura…

…já dizia minha avó…

E eu quis voltar a ser criança no fim-de-semana e dei um mergulho no meio da rua. Resultado: metade do cotovelo ralado. Os hematomas lembram muito a infância e quando eu displicentemente enfiei o braço na água quente para lavar as feridas, não tive como não lembrar de Merthiolate.

Era o horror! O horror! Aquela espatulinha com o liquidinho vermelho encostando nos ralados. E ardia que nem fogo. Precisava a mãe ficar assoprando horas para passar. Doía mais que o próprio machucado.

Procurei comerciais antigos no Youtube, mas só achei um, que nem é tão antigo assim, mas é fofo. Vai ver eles nem faziam propaganda porque ardia muito…

E esperaram eu crescer para inventarem uma fórmula que não arde mais. Absurdo!

Natalia Guaratto

Mantenha fora do alcance de crianças

xaropeNem só de alegrias é feita a vida de uma criança. Na infância, é quase uma regra adoecer várias vezes por ano. Catapora, sarampo, caxumba, gripes e resfriados em várias escalas são as doenças mais comuns, sem contar os milhares de machucados e contusões. Mas mesmo nessa hora, é possível se divertir.

Esse post é sobre uma das malandragens infantis mais manjadas de todos os tempos. Isso mesmo, a partir do momento que descobrimos a arte da chantagem, perdemos qualquer pudor em assustar nossas mães e inventamos uma dorzinha de cabeça ali, uma contusão aqui. Tudo por eles: os remédios mais gostosos que a indústria farmacêutica já produziu!

AAS – As mães o conhecem como Melhoral Infantil. Para nós é balinha rosa. É indicado para dores de cabeça. Basta um comprimidinho para ficar viciado e inventar sintomas diariamente.

Cataflan – Não confundir com a pomada ou o spray. Bom mesmo é o em gotas, de preferência infantil. É uma delícia, porém arriscado. Usar moderadamente, pois o frasco é pequeno, só 20 ml. As mães descobrem facilmente.

Celestamine – Xarope rosa que enfeitiça as crianças. Tem gosto de Danoninho, mas na verdade é indicado para o combate dos sintomas de alergia. O frasco é grande, então dá para fingir uma coceira por mais tempo.

Vick Vaporub – A família Vick é especialista em produzir remédios que viciam como o chazinho Vick Pirena. Mas a pomadinha com cheiro de menta vicia instantaneamente. Mesmo quando o nariz não está congestionado é comum encontrar usuários cheirando a embalagem compulsivamente.
 
Mas nenhum remédio era mais famoso que o Biotônico Fontoura. O xarope tupiniquim, que completa 100 anos em 2010, não era uma gostosura, não tinha eficácia comprovada, mas fazia a cabeça das nossas mães e prometia dar uma fome de leão. Para quem não lembra, segue um comercial de 1998 com ninguém menos que Sandy e Júnior como garotos-propaganda!

Natalia Guaratto

E a propaganda rolava …

Nos anos 90 houve uma melhoria nos meios publicitários. A propaganda se aprimorou e, com isso, surgiram comerciais que tinham como pré requisito penetrar na mente do telespectador e dali nunca mais sair.

Tanto isso é verdade que ao escrever este post já vieram centenas na minha cabeça. Resolvi, então, fazer uma seleção das que, para mim, marcaram mais.Veja se você se encaixa em alguma delas:

Quem não se emocionava toda vez que via aqueles bebes, liiiindos, fantasiados de bichinhos cantando “o elefante é fã de Parmalat, o porco cor-de-rosa e o macaco também são …” e no final ainda vinha um “Gostou?”. Claro que eu gostei! Eu amei! Quero leite agora! ?

Quem não ficava olhando compenetrado na tela da televisão um pivete que com um chocolate na mão nos hipnotizava dizendo: “Compre Batom. Compre Batom.” E na hora que acabava o comercial era batata o “ôôô mãe compra um Batom pra mim!?” ?

Quem não ficava com água na boca e já bolava aquele filminho com pipoca quando ouvia a musiquinha “Pipoca na panela começa a arrebentar, pipoca com sal que sede que dá. Pipoca e Guaraná que programa legal …” ?

Quem não decorou todos os ingredientes do Big Mac para chegar no MC Donald`s e ir correndo cantar “ Dois hambúrgueres, alface, queijo, molho especial, cebola, picles, num pão com gergelim.” pra ganhar o lanche da promoção?

Quem não sentia aquela nostalgia de Natal, fim de ano, retrospectiva, toda vez que a Sadia começava com o seu “Peru de Natal! Peru de Natal! Como é fácil de fazer. Vem temperado e pronto pra assar …” ?

Quem não ria quando a tartaruga, deliciosa de chocolate, comia a cabeça da companheira e dizia “Estúpida!” ? Quem não inventava gestos engraçados com a música do Chokito? “Leite condensado, caramelizado, com flocos crocantes, coberto com um delicioso chocolate Nestlé.”

Quem não ficava balançando a cabeça no ritmo e cantando: “Me dá. Me dá. Me dá. Me dá Danoninho. Danoninho dá. Cálcio e vitaminas pra gente brincar … ” ?

Enfim, quem não acordava animado quando ligava a TV e recebia os votos da Doriana desejando um “ooooo Happy day! Oooo Happy day – ay, Oooo Happy day – ay!” ?

É … como vocês perceberam eu separei só propagandas de gordinhos. Mas, NÃO. Esse NÃO é um blog de gordinhas! Isso é apenas uma sub divisão, a primeira parte da seção de propagandas que fizeram parte da nossa infância!

Mariane Battistetti