Família Paola Bracho

Ela formou nossos caráteres na novela mexicana ‘A Usurpadora’ exibida no Brasil em 1999 pelo SBT. Gabriela Spanic interpretava as irmãs Paola e Paulina. Paola queria curtir umas férias com o amante milionário por um ano e chantageou Paulina para ficar em seu lugar. Nesse meio tempo ela sofreu um acidente e foi dada como morta. A  irmã boazinha já tinha se revelado e estava vivendo rica e feliz com Carlos Daniel, e aí Paolita voltou e começou a vingança!

Olha a abertura da novela que glamour:

E aí a  gente acorda em uma terça-feira ensolarada e tentaram matar a Paola Bracho!

Pá, se precisar a gente ajuda na vingança!

Natalia Guaratto

Vocês sabem quem são as meninas da foto?

Fran, Nadia, Vivi e  Lucia. Também conhecidas com Chiquititas 13 anos depois!

Vi no katylene.com

Hahaha

Natalia Guaratto

Embarque nesse carrossel …

Carrossel foi a primeira novela estrangeira a concorrer ao Troféu Imprensa na categoria Melhor Novela. Isso porque entre outros aspectos ela desempenhou um papel importante no que se refere a preconceito e maus tratos no meio infantil.

O Colégio Mundial era o parque de diversão da turma que aprontava confusões e, ao mesmo tempo, lidava com situações em que a terna, afetuosa e doce professora Helena ensinava valores como respeito, amizade e união, sempre ao lado do seu fiel amigo, o zelador do colégio, Firmino.

Não tem como esquecer dessa escola e da classe que tinha a gorduchinha Laura que suspirava sempre um “Isso é tão romântico!”, o espevitado Kokimoto e a sua faixa de karatê, a meiga Marcelina, o coitado do Cirilo que sempre tentava se explicar “Eu só quis dizer!”, o atentado Davi, o gordinho Jaime, a Carmem, o Mario e o seu cão Rabito, o Paulo irmão da Marcelina, o sonhador Adriano, a Bibi e as suas expressões inglesas, a esnobe e arghhh Maria Joaquina, que se vangloriava do seu sobrenoma Villasenor.

A turma da professora Helena

A turma da professora Helena

Agora … e essa música quem esquece?

Entre duendes e fadas a terra encantada espera por nós

Abra o seu coração na mesma canção em uma só voz

Entra vem no picadeiro, pintar essa cara com tinta e pó

 Deixa a criança escondida, esqueci de esquecer que ela é a voz

Embarque nesse carrossel, onde o mundo faz de conta a terra é quase o céu Embarque nesse carrossel, onde o mundo faz de conta a terra é quase o céu Embarque nesse carrossel, onde o mundo faz de conta a terra é quase o céu Embarque nesse carrossel, onde o mundo faz de conta a terra é quase o céu

 No nosso circo maluco você é de tudo até Super-herói

Você é a roda gigante, o anão, o elefante, o índio, o caubói

Venha não perca o seu tempo que a idade se pode escolher

 Venha ser uma criança, girar nessa dança ser o que quiser

Embarque nesse carrossel, onde o mundo faz de conta a terra é quase o céu Embarque nesse carrossel, onde o mundo faz de conta a terra é quase o céu Embarque nesse carrossel, onde o mundo faz de conta a terra é quase o céu Embarque nesse carrossel, onde o mundo faz de conta a terra é quase o céu

Vocês querem ver como eles estão agora? Tá curioso!!? Olhe o vídeo! Vale a pena!

Mariane Battistetti

Vem brincar comigo, vem ser meu amigo!

vovoEu sempre penso em um dia fazer uma lista de 10 razões para amar Silvio Santos. Sem dúvida, um dos primeiros itens seria a novelinha mexicana “Vovô e eu” (El abuelo y yo), exibida no SBT em 1992. A história girava em torno de Daniel, um garoto órfão de pai e mãe que vivia na rua com seu cachorro Ancelmo, até encontrar seu avô Joaquim e passar a viver com ele. Daniel conhece Alejandra, uma garota rica e mimada, mas os dois se tornam amigos e vivem várias aventuras juntos. A antagonista do casal é a malvadinha Yoya, que é apaixonada por Daniel e faz várias maldades para separá-lo de Alejandra.

Yoya e eu: cabelo e caráter infantil duvidosos

Yoya e eu: cabelo e caráter infantil duvidosos

Além de má e invejosa, Yoya também era super estilosa, tinha um corte de cabelo super fashion e usava óculos escuros modernos. Um certo dia, eu pedi para minha mãe me deixar cortar o cabelo igual ao da vilã e para a surpresa da cabeleireira, ela disse sim. Fiquei muito feliz e achei que estava arrasando, claro! E eu tenho a foto para comprovar:

 

Gael Garcia Bernal: arrasando corações desde 1992

Gael Garcia Bernal: arrasando corações desde 1992

Mas não é só isso, “Vovô e eu” merece estar para sempre em nossos corações, porque o ator que interpretava o bonitinho Daniel era nada mais nada menos que Gael Garcia Bernal em seu primeiro papel. Com direito a um “pega rapaz” sedutor, Gaelzito arrancava suspiros das piriguetes mirins. Além de Gael, a novelinha também revelou Ludwika Paleta, a eterna Maria Joaquina de Carrossel, que vivia a protagonista Alejandra e Flor Edwarda Gurrola, intérprete de Yoya que, também despontou para o sucesso e integrou o elenco de Carrossel na pela da meiga Carmem.

Para quem não lembra, aí vai o vídeo da abertura da novelinha!

Natalia Guaratto

Confesso! Eu amava…

Esses dias estava zappeando pela TV e parei para assistir ao episódio (reprise, é claro!) de mais uma atração da TV Cultura que fez a cabeça dos jovens da nossa geração: Confissões de Adolescente.

Criado em 1994, o seriado conta o dia-a-dia de uma família pouco comum. Um pai viúvo, com quatro filhas (duas do primeiro casamento, uma do segundo casamento e a enteada), que tem que lidar com as sutils, ou não, crises das adolescentes.   

As personagens: Natália, Carol, Diana e Bárbara

As personagens: Natália, Carol, Diana e Bárbara

 

Diana (Maria Mariana) , Bárbara (Georgiana Góes), Natália (Danielle Valente) e Carol (Deborah Secco) me acompanharam durante várias tardes, depois da escola. Diana era a mais velha das quatro irmãs, a mais compreensiva, calma e madura. Já Bárbara (a que eu mais gostava), a mais velha depois de Diana, era super despachada e prática – com seu cabelo ‘joãozinho’ e suas roupas descoladas. Não engolia um sapo sequer! Natália tinha um perfil dócil, era sonhadora e romântica. E Carol, a caçula da turma, era moleca – sempre com seu boné de lado.

O estilo de narrativa era um dos artifícios que prendia o público. A história corria normalmente e era interrompida por cometários das personagens, que mostravam seu ponto de vista sobre o assunto e seus pensamentos não externados durante o decorrer da trama.

Paulo (Luiz Gustavo) era o pai que todo mundo queria ter. Compreensivo, calmo, o mais bonzinho de todos!

Maria Mariana, interprete de Diana, criou a série baseando-se em seus diários de adolescência (talvez por isso nós nos identificássemos tanto com os contos). Além de sucesso na TV, as histórias viraram peça teatral e um livro.

A série ainda consagrou a música de abertura, Sina, de Djavan.

Enfim, fiquei presa ao episódio e tive que assitir até o fim.

Fernanda Abrão

Amigas para sempre!

Hoje, 20 de julho, é o dia mundial do amigo. E como não poderia deixar de ser, o Babalu é Califórnia relembra um ícone de amizade dos anos 90, afinal é na infância que descobrimos o quanto é importante e divertido ter amigos. Na ficção, exemplos de grandes amizades não faltam. Quem não se lembra do desenho Ursinho Pooh, no qual tudo o que os integrantes queriam era aprontar e se divertir? E o que dizer de A nossa Turma, também conhecido como Get Along Gang, no qual seis bichinhos de espécie diferentes e personalidades variadas tinham que aprender a aceitar suas diferenças e conviver bem?

Tem ainda, os atrapalhadíssimos Timão e Pumba, que encontraram na amizade e parceria um meio de sobrevivência. E por fim, o seriado mais famoso dos anos 90, que fala de amigos até no nome: Friends. Não por acaso, a série americana ficou no ar por 10 anos e nos divertiu muito com as histórias de Rachel, Mônica, Phoebe, Joey, Ross e Chandler. Mas isso é assunto para outros posts.

Já que esse é um blog feito por meninas, e nos anos 90, não houve quem fizesse mais sucesso entre este público do que a novela Chiquititas, na qual as garotas órfãs encontravam na amizade umas das outras uma forma de se fortalecer, aí vai um cilpe na qual as integrantes falam justamente de amizade.  A minha singela homenagem às minhas amigas e companheiras: Dani, Mari, Fê e Ludy.

Natalia Guaratto

Os casais mais marcantes de Malhação

malhacao95Primeira semana de férias da faculdade, muita falta do que fazer: nada como relembrar os tempos de colégio na qual o horário das 17h30 era sagrado e reservado especialmente para um programa de televisão: Malhação. Cai na tentação e assisti o capítulo inteiro nesta segunda-feira. Não me empolguei nada com a atual versão, mas não deu para não morrer de saudades da novelinha!

Quando Lulu Santos começava “Ainda vai levar um tempo, para fechar o que feriu por dentro”, ou para quem pegou umas temporadas mais tarde, quando o Charlie Brown Jr começava “Tive pensando em me mudar, sem te deixar para trás, yeah” era hora de parar tudo e sentar na frente da TV para acompanhar as altas confusões dos adolescentes em ebulição.

Tomada pelo espírito nostálgico, resolvi fazer de cabeça uma retrospectiva dos casais de Malhação – que com uma devida ajuda do Google, afinal ninguém é de ferro – deu na seguinte lista. E para vocês, quem foram os protagonistas mais marcantes?

luisaedado1996 – A primeira temporada que eu acompanhei foi a que tinha Luisa e Dado como protagonistas. O casal era interpretado por Fernanda Rodigues e Cláudio Henrich. Malhação ainda se passava na academia e Dado, o professor de judô, era a sensação.

 

tatierodrigo1999 – Foi a estreia da segunda geração da novelinha, que tinha passado por um temporada como um show interativo e voltava com Tati (Priscila Fantin) e Rodrigo (Mário Frias) nos papéis principais. Foi nessa temporada que a música “Te levar” da banda Charlie Brown Jr virou tema de abertura. Nesse ano a novelinha também contou com o casal de malvados Érica (Samara Felippo) e Touro (Roger Gobeth), também inesquecíveis.

ludmilladayer2000 – O quarteto da temporada passada continuou, mas a história principal deu lugar para Joana e Marcelo, vividos por Fábio Azevedo e Ludmila Dayer, que eram atormentados pela vilã e patricinha Bia, interpretada por Fernanda Nobre. Nessa temporada, o esporte abordado pela novela foi o futebol feminino. Nunca esqueço a cena em que Joana humilha o técnico Guto do time masculino nas embaixadinhas! Sensacional! Foi nessa temporada também que o lendário Cabeção entrou para o elenco da novelinha!

 

gui e nanda2001 – Nanda (Rafaela Mandelli) e Gui (Iran Malfitano) foram os protagonistas dessa temporada. Eles eram amigos de infância e ela sempre gostou dele, mas era vista como irmã e além do mais usava aparelho e óculos de grau. Nanda e Gui eram atormentados pela vilã Valéria, que até inventou que estava grávida para separar o casal. No fim, deu tudo certo e eles acabaram se casando.

pedroejulia2002 – Foi a minha temporada preferida, o par romântico principal era Pedro (Henri Castelli) e Julia (Juliana Silveira). Eles tiveram várias idas e vindas e viviam um amor proibido à la Romeu e Julieta, já que as famílias se odiavam. Ainda sofriam com as maldades da vilã Thaissa (Bárbara Borges). Achava lindo quando Pedro e Julia se encontravam e rolava “With Arms Wide Open” do Creed.

gustavoeleticia2004 – Foi última temporada que eu acompanhei com frequência e também foi bem legal. O casal principal era formado por Letícia (Juliana Didone), uma garota super engajada, e Gustavo, o bad boy vocalista da Vagabanda. A vilã da vez era Natasha (Marjorie Estiano). Quem não se lembra do hit “Você sempre será?”

 

Malhação está no ar desde 1995 e exibe atualmente a sua décima-sexta temporada. Para quem quiser relembrar mais personagens, tem muita coisa na internet. Basta dar um google. Fiz uma verdadeira viagem no tempo aqui!

Natalia Guaratto