Antes do Créu…

….já tínhamos o Terra Samba!

Talvez hoje eu tenha vergonha de admitir que quando ouço o álbum do Terra Samba, simplesmente sei cantar e dançar todas as faixas. Mas nos anos 1990, eu não tinha restrição nenhuma em tremer e tremer sem parar nas festinhas de aniversário, com chapeuzinho da Moranguinho na cabeça e short-saia cor de rosa.

Acontece que isso foi muito antes do “plágio” Créu e apesar de todo mundo lembrar de É o Tchan quando se fala de axé, o Terra Samba era fascinação total. O melhor era que, numa briga silenciosa com nossas melhores amiguinhas, nós disputávamos quem tremia mais dançando Marcha Ré. A música era sucesso na certa: passinhos fáceis, ritmo contagiante e letra repetitiva. Ninguém – com idade máxima de 10 anos – escapava, até os meninos dançavam.

Se você acha que estou generalizando, faça o teste do complete a frase:

a)      A mocinha vai prá frente, o mocinho vai atrás empurrando a _______________.

b)      Está chegando a hora, é hora de partir, e dá uma _____________________.

c)      Nada mal, curtir o Terra Samba não é nada mal. Que legal, é só ___________.

Acertou todas? Então, conforme-se, agora é só Liberar Geral!

Esse post é totalmente inspirado por isso: http://www.atleticacasper.com.br/arriobahia/

Jéssica Cruz

Anúncios

Moreninha, moreninha, você sabe mexer

Fiz o último post e fiquei pensando que eu nunca quis ser Paquita. No máximo Chiquitita, mas meu sonho mesmo era ser a nova morena do Tchan. É, eu sei, o glamur sempre esteve no meu sangue. Mas quis o ingrato destino que eu gostasse de ler e a mais ingrata genética que eu não passasse dos 49 quilos, então virei jornalista.

Mas as musas do Concurso A Nova Morena do Tchan vão estar sempre no coração:

1. Viviane Araújo, 2. Sheila Carvalho, 3. Nana Gouveia e 4. Roseane Araújo (lá vai Raimunda passeando pela feira…)

Vi no Morri de Sunga de Branca

Natalia Guaratto

Passa negão, passa loirinha …

Não tem como ouvir o “bota mão no joelho dá uma agachadinha, vai descendo gostoso, balançando a bundinha”, e não lembrar do grupo que abalava as festinhas de aniversário da garotada.

O É o Tchan fez das festas mais animadas e engraçadas. A loira e a morena faziam a dupla junto com o jacaré, o “cumpadi” Washington e o Beto Jamaica. O modelito shorts curto, top e tênis entrou no guarda-roupas das meninas que colecionavam de cores e tamanhos diferentes, ainda mais, quando a sexy machine resolveu lançar o seu nada comportado shorts do olho na bunda.

Além da “dança do bumbum” o grupo se popularizou com o “Pau que nasce torto” e “Melô do Tchan”  em que o trio de dançarinos coreografavam eroticamente, mas que no meio da bagunça tudo ficava lindo e as mães adoravam ver suas filhas requebrando igual as “Sheilas” do Tchan.

A animação não parava por ai. A competição entre as meninas era tão acirrada por quem descia mais ao chão que os quintais viravam palco de ensaio e os aniversários os grandes eventos onde os passos não poderiam ter um erro sequer.

Lembro que eu fazia par com a minha prima e os finais de semana eram SAGRADOS para o ensaio. A roupa tinha quer ser igual as das meninas do grupo e o rebolation… hum …

O grupo passou por várias modificações até ter o seu fim definitivo em 2007, depois de emplacar as músicas “A Tomada“ e a “Dança da Garrafa”.

Mariane Battistetti