Antes do Créu…

….já tínhamos o Terra Samba!

Talvez hoje eu tenha vergonha de admitir que quando ouço o álbum do Terra Samba, simplesmente sei cantar e dançar todas as faixas. Mas nos anos 1990, eu não tinha restrição nenhuma em tremer e tremer sem parar nas festinhas de aniversário, com chapeuzinho da Moranguinho na cabeça e short-saia cor de rosa.

Acontece que isso foi muito antes do “plágio” Créu e apesar de todo mundo lembrar de É o Tchan quando se fala de axé, o Terra Samba era fascinação total. O melhor era que, numa briga silenciosa com nossas melhores amiguinhas, nós disputávamos quem tremia mais dançando Marcha Ré. A música era sucesso na certa: passinhos fáceis, ritmo contagiante e letra repetitiva. Ninguém – com idade máxima de 10 anos – escapava, até os meninos dançavam.

Se você acha que estou generalizando, faça o teste do complete a frase:

a)      A mocinha vai prá frente, o mocinho vai atrás empurrando a _______________.

b)      Está chegando a hora, é hora de partir, e dá uma _____________________.

c)      Nada mal, curtir o Terra Samba não é nada mal. Que legal, é só ___________.

Acertou todas? Então, conforme-se, agora é só Liberar Geral!

Esse post é totalmente inspirado por isso: http://www.atleticacasper.com.br/arriobahia/

Jéssica Cruz

Anúncios

Super Trunfo

Coleção de modelos antigos do jogo

Meu pai foi ao Salão Internacional do Automóvel de São Paulo e, embora tenha reclamado da baixa quantidade de brindes que recebeu, levou um Super Trunfo dos carros da Fiat para mim. Sem graça, já que se trata de carros que vemos todos os dias, salvo algumas exceções, mas ainda assim trouxe boas memórias.

A graça do Suepr Trunfo era comparar os quesitos de máquinas como Ferraris, Porsches, Lamborghinis, caminhões de rally, foguetes, trens supersônicos. Com primos fascinados por esse tipo de coisa, jogava com eles sem saber o que era RPM e esses aspectos técnicos, mas me divertia do mesmo jeito.

Segundo a Wikipedia, o jogo de cartas “começou a ser produzido no Brasil nos anos 70 (pela Grow), voltado a automóveis e outros veículos, e se popularizou nos anos 80. Atualmente conta com vários temas, entre os tradicionais sobre carros e aviões até os mais novos como cães de raça e de super-heróis”.

Pois é. No meu tempo, nos limitávamos a carros, motos, tanques de guerra. Há mais ou menos três anos, um primo menor me chamou para jogar Super Trunfo com ele. O tema: times da NBA, a liga americana de basquete. Depois descobri que há bizarrices como cães de raça, dinossauros, países, e qualquer coisa passível de comparação.

O jogo, obviamente, se adaptou aos novos públicos. Aliás, surpreende que ainda seja relativamente conhecido entre os mais jovens. De qualquer forma, mesmo com temas mais recentes e atualizados, o Super Trunfo ainda carrega um valor simbólico do tempo em que ficávamos maravilhados com Mercedes e Jaguares só pelas cartas, pois não tínhamos o Youtube ou filmes como Velozes e Furiosos.

Veja nesse link os produtos oficiais da linha Super Trunfo.

João Coscelli