Jean-Claude Van Damme escapa da morte. Mais uma vez.

Fiquei surpreso ao ver uma notícia sobre um infarto sofrido pelo ator belga Jean-Claude Van Damme, ícone dos filmes B de ação que o SBT adorava passar no Cinema em Casa. Com recém-completados 50 anos, o ator, que atua agora em filmes de ainda menor expressão que os de antes – foi internado, mas já se recuperou e repousa em sua residência.

Chong Li: 'You are next!'

Van Damme assustou seus fãs – sou fã dele de verdade -, mas escapou da morte mais uma vez, como sempre fez em seus filmes dramáticos, coreografados e cheios de porrada. Entre os longas mais marcantes que participou está Street Fighter: A Batalha Final, fracassada tentativa de transpor para o cinema o sucesso do jogo de luta.

Van Damme interpreta Guile, general americano que tenta derrubar a organização terrorista Shadaloo, do temido M. Bison, interpretado maestralmente pelo finado Raul Julia (que também fez o papel de Gomez, da Família Addams). O filme tornou-se um dos principais símbolos da tradição de criar bizarrices na transposição dos games para a telona.

Soldado Universal, A Colônia, Legionário, Kickboxer e Contato Mortal são outros dos filmes do ator que o SBT exibia com orgulho – “pela primeira vez na televisão”. No comercial de chamada para o Cinema em Casa, o narrador dava ênfase a ao lutador: “Com Jean-Claude Van Damme”. O meu preferido, porém, é O Grande Dragão Branco. Primeiro, porque é o filme com o nome mais espetacular de todos os tempos. Segundo, o enredo é trash e cheio de clichês, algo absolutamente essencial em um filme B.

Logo na capa, a voadora final

Van Damme interpreta Frank Dux, um jovem (clichê) que aprendeu artes marciais com um mestre oriental (clichê). Ele é convidado a participar de um torneio de lutas clandestino (clichê), onde enfrenta lutadores de todo o mundo (clichê). No final, ele enfrenta o temido Chong Li (na foto), e depois de apanhar muito (clichê), vence a luta com uma voadora mortal (o maior clichê de todos). Absolutamente épico.

Lembro também de quando Van Damme foi ao Programa do Gugu, e o auditório foi ao delírio. “Stay, stay, stay”, traduzia o intérprete ao ator os gritos da plateia.  Aguardamos mais informações sobre o estado de saúde de Van Damme. Até onde nossa equipe se informou, Steven Seagal, Chuck Norris, Lorenzo Lamas e Sylvester Stallone estão bem.

Curte aí: site oficial do Van Damme e trecho de O Grande Dragão Branco.

João Coscelli

Anúncios

Tio da Sukita, a vingança

Para você que não aguenta mais ouvir cantada de tio pedreiro na rua, a vingança. Obrigada ao publicitário (ou publicitária, provavelmente) que teve a ideia do comercial com o tio da Sukita, clássico dos anos 90.

(Via a memória do Pedroso, que exigiu os créditos, mas não tem twitter)

Daniella Cornachione

Volta já!

O bordão do Serginho Groisman é ótimo para o momento e explica a falta de posts diários: TCC. Pouco mais  de um mês para acabar, então o Babalu voltará com todas as forças. Mas como nossa especialidade é relembrar, e não criar expectativas, deixamos vocês com o Programa Livre.

Exibida no SBT de 1991 a 2001,  a atração teve os tempos áureos enquanto foi comandanda por Groisman – a partir de 99 outros apresentadores tentaram dar continuidade à fórmula, o que não deu lá muito certo

Jovens e adolescentes formavam a platéia e no centro os convidados eram sabatinados. Groisman ainda promovia quadros e gincanas. O formato é bem parecido com o Altas Horas, exibido pela Globo atualmente.

O programa recebia também as bandas do momento: Sepultura, Raimundos, Skank, Jota Quest foram alguns dos que passaram pela atração. Além do “Programa Livre Volta Já”, outro bordão criado por Groisman era o “Fala Garoto”.

Aí vai a abertura e um trechinho do programa. No Youtube tem muito mais coisa:

Conta para ninguém, mas eu só assistia quando a temporada de Malhação não estava lá essas coisas.

Natalia Guaratto